VII. ARTE AO CENTRO - EXPOSIÇÃO DE CATARINA SOBREIRO E MARTA MACHADO NO ARTE 220-ESPAÇO CRIATIVO



O Arte ao Centro em parceria com atelier - galeria ARTE 220-Espaço Criativo abre suas portas para receber as artistas contemporâneas portuguesas, Catarina Sobreiro e Marta Machado em um exposição conjunta, 


CATARINA SOBREIRO

  

Um pouco mais de azul”


Pinturas sobre papel e cartão,
Dimensões variáveis;
2016













“Um pouco mais de azul”

“Residências de riscos e de tinta;
Registos temporários de paisagens efémeras;
Rasgos de memórias desgastadas, quase inúteis;
Rastos de águas choradas;
Ramos partidos e rumos quebrados;
Resquícios de uma respiração azul;
Rectângulos de papel de grandezas incertas.”








MARTA MACHADO


“THE PERSON, ABSENCE STORY “

Pintura sobre tela
2016





“THE PERSON, ABSENCE STORY “


A série “The person, absence story” - consiste na apresentação simbólica de quinze pessoas reais, onde prevalece, não a narrativa das suas histórias de vida, mas sim o registo intensivo deformante dos rostos/corpos.
Cada pessoa sugerida na folha de papel reproduz uma ideia, expõe uma sensação e revela uma imagem. Nelas (ideia, sensação e imagem) se fundem a questão do retrato e das manifestações do corpo, convergindo-os forçosamente à voz da pintura. Voz essa que se clarifica no seu funcionamento, detalhado nas camadas de tinta, nos drippings superficiais e nos contornos dinâmicos (in)visíveis. Estes detalhes são como pistas de um lugar que, neste sentido, é arena sumária do acaso que se afirma e da modelação do rosto que se anima.



A modelação explica objetivamente a vibração deformante do rosto/corpo. De fato, o movimento criado pelos traços, a pressão exercida pelo escorrimento da tinta, bem como a expulsão das camadas inferiores (ora da tinta, ora do papel rasgado e colado), fazem com que se enrole a estrutura do material pictural ‘descontrolado’ à repetição da forma ‘controlada’, e cria-se o acontecimento - o surgimento da figura. A figura aqui não é tanto a personagem humana, cabeça e membros, mas, na primeira instância, designa o batimento do quadro que obriga o registo intensivo dos diferentes ritmos, subjacentes aos diferentes níveis de ação. E na segunda, é o que qualifica, o que faz com que haja um aproveitamento das especificidades do rosto/corpo (rugas, olhos, boca, nariz, braços, etc.) e as transporta para a sensação.  

EXPOSIÇÃO



































TERTÚLIA

ARTE E INCLUSÃO SOCIAL



O mesmo espaço foi palco de uma tertúlia promovido pelo GEART, no dia 31de agosto, as 20 horas, com o tema a "Arte e Inclusão Social", sendo que como principal debatedora, a Dra Ana Umbelino - Vereadora/Secretária de Cultura de Torres Vedras que apresentou os projetos desenvolvidos em Torres Vedras e a artista visual Marta Viana que apresentou seu trabalho com o grupo de idosos da cidade.































Share on Google Plus

Sobre Lauro Monteiro Filho

Contém Arte | Lauro Monteiro Filho | Varanda Brasil
    Blogger Comment
    Facebook Comment

0 comentários :

Postar um comentário